Bebida alcoólica em excesso não faz bem para a saúde de ninguém. A quantidade máxima para pessoas sem complicações de saúde é de cerca de uma taça de 100ml de vinho por dia, ou uma lata de cerveja. Mas e no caso das pessoas com diabetes? Será que elas podem seguir essa mesma orientação?

Quem tem diabetes tem dificuldade de produzir insulina suficiente para utilizar a glicose, que funciona como energia para as células. Quando a doença está descontrolada, o fígado é obrigado a trabalhar mais para armazenar a glicose em excesso. Acontece que o órgão também é responsável por metabolizar o álcool. Fica fácil entender que nos pacientes, portanto, é mais fácil o fígado ficar sobrecarregado.

Por outro lado, quando a doença está controlada, principalmente por uso de insulina, o álcool aumenta o risco de hipoglicemia, pois o álcool dificulta a liberação da glicose armazenada pelo fígado.

Mas então, o que fazer? Apesar de haver indícios de que o álcool em pequenas doses possa fazer bem ao coração, o ideal é que cada caso seja analisado pelo médico que acompanha o paciente. Em geral, o segredo é a moderação, mas há casos em que o não pode haver consumo de álcool, e só o especialista pode indicar. Peça a ele orientação quanto a sua dose máxima e siga com rigor.

E vale um lembrete geral: Se você for beber, beba moderadamente, em intervalos longos e tome água entre as doses para não sobrecarregar o fígado.





Tags: diabetes; bebida alcoólica; insulina; glicose



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários