Pessoas com diabetes tipo 2 estão acostumadas a tomar medicamentos em comprimidos para controlar o nível de glicose no sangue. Mas alguns pacientes precisam de tratamento com insulina. Mas afinal, o que difere quem toma os medicamentos convencionais daqueles que tomam insulina?

Existem dois tipos de diabetes, o tipo 1 e o tipo 2. No primeiro, o corpo produz pouca ou nenhuma insulina, e toda glicose que entra no corpo acaba não sendo transformada em energia. Por conta dessa deficiência, pessoas com diabetes tipo 1 precisam recorrer a esse hormônio injetável, para que seja possível regular os níveis de açúcar no sangue.

Já pessoas com diabetes tipo 2 produzem insulina, mas ela não funciona direito ou não é suficiente para toda glicose ingerida. Na maioria dos casos, essas pessoas utilizam outros medicamentos, como a metformina, primeira frente de tratamento do diabetes.


Em alguns casos mais específicos, quando a dieta e os medicamentos não são suficientes para controlar a glicemia do paciente com diabetes tipo 2, o médico pode indicar o uso de insulina. Mas não se assuste, porque isso não quer dizer, necessariamente, que a sua doença está piorando, pois o uso da insulina visa justamente conter a progressão das complicações do diabetes como cegueira, problemas renais e amputações. Logo, não iniciar a insulina no momento oportuno é que pode piorar o diabetes.

Vale lembrar ainda que o tratamento do diabetes deve ser multidisciplinar e envolve mudanças na alimentação e práticas de atividades físicas. Converse com seu médico sobre seu tratamento.

Pessoas com diabetes tipo 2 estão acostumadas a tomar medicamentos em comprimidos para controlar o nível de glicose no sangue. Mas alguns pacientes precisam de tratamento com insulina. Mas afinal, o que difere quem toma os medicamentos convencionais daqueles que tomam insulina?

Existem dois tipos de diabetes, o tipo 1 e o tipo 2. No primeiro, o corpo produz pouca ou nenhuma insulina, e toda glicose que entra no corpo acaba não sendo transformada em energia. Por conta dessa deficiência, pessoas com diabetes tipo 1 precisam recorrer a esse hormônio injetável, para que seja possível regular os níveis de açúcar no sangue.


Já pessoas com diabetes tipo 2 produzem insulina, mas ela não funciona direito ou não é suficiente para toda glicose ingerida. Na maioria dos casos, essas pessoas utilizam outros medicamentos, como a metformina, primeira frente de tratamento do diabetes.


Em alguns casos mais específicos, quando a dieta e os medicamentos não são suficientes para controlar a glicemia do paciente com diabetes tipo 2, o médico pode indicar o uso de insulina. Mas não se assuste, porque isso não quer dizer, necessariamente, que a sua doença está piorando, pois o uso da insulina visa justamente conter a progressão das complicações do diabetes como cegueira, problemas renais e amputações. Logo, não iniciar a insulina no momento oportuno é que pode piorar o diabetes.

Vale lembrar ainda que o tratamento do diabetes deve ser multidisciplinar e envolve mudanças na alimentação e práticas de atividades físicas. Converse com seu médico sobre seu tratamento.





Tags:



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários