A hipertensão é uma doença silenciosa na maioria das vezes. Os sintomas normalmente só aparecem em fases mais avançadas ou quando há uma crise hipertensiva, episódio em que a pressão sobe de forma abrupta. Nesses casos, muitas pessoas veem pontos luminosos, o que ocorre pela alteração de pressão nos vasos dos olhos. Se for só isso, tudo bem. O problema é que nesse quadro podem ocorrer problemas cardiovasculares graves, como infarto do miocárdio ou acidente vascular cerebral (AVC).

É preciso aderir ao tratamento mesmo sem a presença de sintomas e buscar manter a pressão no limite de 12 por 8. Existem pessoas com fatores de risco mais importantes, e dependendo do caso essa medição pode ser até mais baixa. Em qualquer dos casos, se há diagnóstico da doença, é muito importante ter um aparelho que mede pressão em casa. Medindo com a regularidade indicada pelo médico, evita-se que a pressão saia do controle e coloque o organismo em alto risco. 

Se a mudança de hábito não for suficiente para diminuir a pressão arterial, é preciso introduzir os remédios, mas sempre com recomendação médica. Lembre-se de que o fato de tomar medicamentos não elimina a necessidade de mandar hábitos saudáveis; ambos devem ser mantidos para a eficácia do tratamento.

Não espere ter um aumento elevado da pressão arterial, ou mesmo um episódio de crise hipertensiva, que oferece risco de morte, para buscar tratamento. Se apenas mudanças no estilo de vida forem suficientes para manter sua pressão sob controle, ótimo, mas de qualquer forma você precisará medir com frequência para agir rápido caso a dieta e os exercícios não forem suficiente. Para quem tem histórico de hipertensão na família (como pai ou mãe hipertensos), o risco de desenvolver a doença é muito maior. Nesses casos, a atenção deve ser redobrada!





Tags: hipertensão; alimentação; exercícios



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários