Pessoas que têm colesterol alto possuem risco maior de desenvolver complicações como infarto e AVC. Mas existem outras doenças que podem surgir, caso o paciente não siga o tratamento recomendado pelo médico. É o caso da esteatose hepática, também conhecida como gordura no fígado.

Uma das funções do fígado é auxiliar na metabolização da gordura. Ele produz a bile que, liberada no intestino, "quebra" a gordura durante a digestão. Quando há quantidade excessiva de gordura no organismo, a bile não consegue dar conta de convertê-la, e, assim, ela permanece no sangue e chega até o fígado, onde se acumula.

Na maioria dos casos, a pessoa que desenvolve esteatose hepática já tem um distúrbio de metabolismo, como hipertensão, diabetes, obesidade, triglicérides e colesterol altos. Em casos leves o excesso de gordura no fígado não causa sintomas, mas caso a condição se agrave, podem ocorrer dor, cansaço, fraqueza e inchaço do fígado. Se não tratada, pode evoluir para uma insuficiência hepática, cirrose e até câncer.

É preciso estar atento. Se você tem colesterol alto, siga seu tratamento corretamente, utilizando os medicamentos, adaptando a alimentação e praticando atividades físicas. Evite desenvolver outra doença que possa aumentar o risco de esteatose hepática. Apesar de o acúmulo de gordura no fígado ter tratamento, o melhor caminho é a prevenção.





Tags:



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários