Diante de tantos imprevistos naturais da vida e da falta de controle sobre eles, às vezes, fica difícil não se deixar levar pelos problemas e, sutilmente, se entregar aos pensamentos negativos. Mas isso pode ser revertido com a ajuda das atividades aeróbicas.

Estudos comprovaram, por exemplo, que os exercícios físicos, além de fazerem bem para o corpo, também beneficiam a mente no que se refere a melhora de humor (por conta da produção de serotonina, um neurotransmissor), prevenção de acidente vascular cerebral, aumento da motivação, entre outros resultados.

“Sendo assim, as atividades físicas, no geral, trazem diversos benefícios para quem as realiza. E um equilíbrio entre a mente e o corpo é essencial para uma vida satisfatória, pensamento este que vem desde a Grécia clássica, ilustrada pela expressão ‘mente sã, corpo são’”, explica o psicólogo clínico, Nickolas Mosmann.

Mãos à obra

Já que os exercícios nos fazem tanto bem, que tal começar pela visita ao médico, para saber como estão suas condições de saúde, as atividades e periodicidade mais adequadas, e depois adotar algumas práticas aeróbicas, como caminhada, andar de bicicleta ou as artes?

“Para espantar os pensamentos negativos, é importante procurar exercícios que sejam prazerosos, dentro da preferência individual. Existem atividades que estão ligadas às formas de arte, como a dança ou as lutas marciais no geral, por exemplo, em que há uma combinação entre a expressão de conteúdos subjetivos em conjunto com o treino corporal, que possibilita à pessoa, muitas vezes, uma potencialização nos resultados mentais e físicos”, esclarece Nickolas.

Exercícios para a vida toda

Como o passar do tempo, as necessidades do corpo vão mudando, de acordo com a produção dos hormônios que tendem a diminuir, a cada momento da vida. Por isso, Nickolas propõe que as atividades aeróbicas também sejam reavaliadas. “A cada momento da vida, os exercícios irão ter funções diferentes, mas essenciais para o nosso corpo. Só é preciso ter em mente o poder curador que eles possuem, inclusive em pacientes com psicopatologias (como, por exemplo, a depressão), e ter sempre um acompanhamento médico e psicológico, quando preciso.”

 





Tags: atividades; exercícios; serotonina; motivação



Deixe seu comentário

Para comentar ou responder, você precisa se cadastrar ou estar logado.


0 Comentários